Realidade virtual é usada na medicina contra demência

avatar

Postado por Bruna Santos - 19 Dezembro, 2017

header-picture

A realidade virtual na medicina é usada para diversas finalidades, do diagnóstico à reabilitação.

A realidade virtual é aplicada na medicina em treinamentos, cirurgias, prevenção de doenças, aconselhamento e arquitetura e design de hospitais.

Agora, a tecnologia começa a ser usada no tratamento de pessoas com demência.

O projeto The Wayback (há muito tempo - em tradução livre) é uma ideia desenvolvida por um grupo de amigos com experiências familiares de portadores da doença.

Trata-se de um aplicativo gratuito que promove uma viagem ao passado, recriando acontecimentos históricos.

Uma série de filmes de fatos históricos estarão disponíveis para pacientes com demência. Os resultados são momentos de emoções positivas e de conexão com a vida.

Aproveitar as lembranças antigas, ainda preservadas, tem sido um ponto chave dos cuidados com pessoas portadoras da doença.

A realidade virtual possibilita ampliar exponencialmente esse trabalho, objetivando promover o bem estar e resgatando a auto-estima do paciente.

Pesquisas e estudos comprovam que reviver memórias agradáveis ativa os neurotransmissores dopamina e serotonina, responsáveis pela sensação de prazer, suavizando sintomas e diminuindo o isolamento do paciente.

As experiências que provocam as reações mais positivas e maior satisfação são as que promovem contato com a natureza, como praias, bosques e lugares exóticos.

Cientistas estão utilizando o jogo Sea Hero Quest, em sua versão em realidade virtual, com a finalidade de criar o maior banco mundial de parâmetros sobre a capacidade de orientação humana. O declínio do senso de direção é um dos primeiros indícios de demência.

No jogo, o usuário torna-se capitão de um barco e tem que navegar em águas turbulentas. Enquanto o usuário faz as manobras, os dados do jogador são recolhidos e analisados por neurocientistas da University College London, University of East Anglia e ETH Zurich.

A primeiras conclusões foram divulgadas ano passado, mostrando que o senso de direção entra em declínio depois da adolescência. A proposta é tentar identificar a doença bem no início, já que o diagnóstico ocorre apenas dez anos após os estágios iniciais.

Os sistemas de simulação geram ambientes que proporcionam a recriação de experiências da vida real. A realidade virtual na medicina tem sido aplicada com eficácia, sendo uma excelente ferramenta para gerar mais qualidade nos serviços médicos.

A tecnologia está em pleno desenvolvimento e evolução, apresentando conteúdos de altíssima qualidade. O mercado acompanha as novas tendências tecnológicas, fazendo com que se tornem mais acessíveis aos consumidores.

Tópicos: Realidade Virtual

flex interativa realidade aumentada guia interatividade

Posts recentes

13º Congresso Empresarial Acipi

read more

Apple Entra Definitivamente no Mercado de Realidade Aumentada

read more

Case de Sucesso Flex Interativa: Mosaic Fertilizantes

read more