Blog da Flex

O projeto realizado pela Flex Interativa em parceria com a Grow foi um sucesso, confira matéria abaixo com o uso aplicado no aprendizado em graduação da FEMA.

Aula especial de Componentes Morfológicos e Psíquicos do Ser Humano II em parceria com o Núcleo de Inovação e Tecnologias Educacionais NITED da FEMA

Já pensou na possibilidade de objetos reais interagirem com objetos virtuais? Com a realidade aumentada isso é possível e aconteceu na turma do 2° semestre do Curso de Graduação em Enfermagem da FEMA. Por meio de um software, um marcador no mundo físico e um GPS houve a interação entre os dois mundos, o físico e o virtual.

A aula diferenciada, organizada pela professora Francine Rodrigues Ianiski e pelo professor Nedisson Gessi, envolveu os alunos no desenvolvimento das tarefas propostas. No primeiro desafio, os estudantes foram divididos em pequenos grupos e montaram quebra-cabeças do corpo humano, sem conhecer a imagem a ser formada. Em conjunto a essa tarefa, os estudantes utilizaram atlas anatômicos para identificar os principais vasos sanguíneos da irrigação e drenagem do corpo humano. A questão inicial abordava a interação do grupo, compartilhamento de saberes e habilidades particulares, além de liderança.

Em um segundo momento, os estudantes utilizaram um aplicativo de Realidade Aumentada sobre o quebra-cabeça e observaram o corpo humano como um todo. Nesse ponto, foi possível identificar os diferentes sistemas orgânicos isoladamente e integrados aos demais sistemas. “A atividade foi empolgante, os estudantes interagiram e exploraram o recurso, colaboraram uns com os outros e analisaram os órgãos, localizações e nomenclaturas anatômicas, permitindo uma integração aos conhecimentos teóricos”, destacou o professor Nedisson, coordenador do Núcleo de Inovação e Tecnologias Educacionais NITED da FEMA.

Por fim, o terceiro desafio da aula incluiu o uso de Realidade Aumentada diretamente no corpo dos estudantes. Nesse recurso, os educandos exploraram a anatomia em tamanho real, verificaram a frequência cardíaca no repouso e após atividade física. Além disso, identificaram em tamanho real, a anatomia interna e externa dos órgãos e a integração de diferentes sistemas, como respiratório, digestório e cardiocirculatório.

O uso de Realidade Aumentada tem o intuito de instigar o desenvolvimento de competências e habilidades como trabalho cooperativo, raciocínio lógico, comunicação e liderança. “Nesse contexto, destacamos a importância do uso das tecnologias digitais no processo de aprendizagem, como uma aliada ao contexto educacional, pois potencializa o entendimento e a compreensão daquilo que é observado”, completou a professora Francine Rodrigues Ianiski.

Link matéria completa

Realidade aumentada facilita a compreensão do Corpo Humano no Curso de Graduação em Enfermagem

Aplicativo disponível para download

Google Play

App Store

 

Para reter a atenção dos usuários, as organizações precisam inovar. É preciso ser criativo e ofertar interações que emocionam, trazendo inovação nas experiências vividas.

E isso pode – e deve – estar inserido em um contexto que contemple não apenas os clientes externos, mas especialmente os internos, já que eles são os maiores propagadores dos negócios caso estejam satisfeitos com o que realizam.

Assim, empresários e gestores escolares vêm apostando no uso das tecnologias de realidade virtual e realidade aumentada para proporcionar um conteúdo envolvente dentro de um meio de distribuição inovador no treinamento de seus funcionários.

Qual a diferença entre estas duas tecnologias?

A realidade virtual (RV) pode ser definida como um ambiente virtual tridimensional que imita a realidade o mais próximo possível.

Já a realidade aumentada (RA), como o próprio nome diz, aumenta a realidade fornecendo informações digitais sobre o que o usuário está vendo.

Pokémon Go e Snapchat filtros são os dois exemplos mais conhecidos de aplicações de realidade aumentada atualmente.

Enquanto a RV leva você para longe do mundo onde está inserido para transportá-lo para outro lugar, a realidade aumentada aumenta o mundo em que você está, melhorando-o com informações visuais complementares.

Por manter as pessoas no mundo real, os especialistas apostam que a realidade aumentada abrangerá um mercado muito maior que a realidade virtual, já que é possível rodá-la na maioria dos smartphones e tablets, o que não acontece com a realidade virtual, em que os equipamentos são mais específicos e não muito baratos.

Um óculos RA – uma junção do seu smartphone numa espécie de Google Cardboard -permite você ver e interagir em “ambos os mundos”.

Realidade Aumentada para treinamento

Tanto a RV como a RA estão sendo exploradas como novas ferramentas de treinamento, uma vez que ambas já estão estabelecidas na indústria de games e entretenimento. O desafio é transferir conhecimento e fazer com que o mesmo seja retido pelos usuários de uma forma mais eficaz do que os métodos tradicionais.

Ideias de como utilizar as tecnologias

Nas empresas, óculos de realidade aumentada podem ser utilizados, por exemplo, pelos operários. Eles podem assistir a um vídeo específico enquanto consertam um equipamento.

Já nas escolas, alunos podem aprender história interagindo com um livro com conteúdo em realidade aumentada.

Um ambiente RV pode potencializar um treinamento para uma empresa de segurança, auxiliando a resolver um problema dentro de um laboratório, como se portar numa emergência dentro de uma plataforma para exploração de petróleo e até mesmo ter uma experiência única no seu primeiro dia de trabalho na sua nova empresa.

Vantagens na utilização das tecnologias AR e RV

  • Melhora na percepção do colaborador, professor ou estudante ao enxergar engajamento da empresa pela busca de novas formas de capacitação
  • Aumento da motivação
  • Melhoria na produtividade
  • Impacta positivamente os resultados da empresa

Orçamento

É possível começar com soluções mais simples, mas já com conteúdo exclusivo em realidade aumentada, passando a ambientes mais complexos e interativos com a realidade virtual.

Criar valor

Um ponto muito importante é gerar um conteúdo significativo que criará valor real e não simplesmente fazer uso de uma destas tecnologias porque “está na moda”.

Ter um propósito específico que gerará engajamento e aprendizado real é fundamental. Assim, a utilização da tecnologia deve sempre ser feito com bom senso.

Testar este treinamento com um grupo pequeno, fazer os ajustes necessários e avaliar os resultados são passos importantes antes de uma implementação em massa.

Cabe aos profissionais da área encontrar o equilíbrio entre conteúdo criativo, tecnologia e formatos de aplicação para fomentar o crescimento destas ferramentas dentro de escolas e empresas para formar profissionais cada vez mais preparados para enfrentar o seu dia-a-dia.

Facebook
Facebook
INSTAGRAM
WhatsApp chat